Copa do Mundo 2014: emissões de GEE compensadas

Que a Copa do Mundo 2014 tem sido um sucesso no Brasil é inegável. Mas, para além do esporte, o evento parece deixar um legado ”verde” positivo nesta edição: todas as emissões de gases de efeito estufa geradas pelo evento, direta ou indiretamente, serão compensadas!

Felipe Bittencourt, diretor da WayCarbon, faz parte da equipe de especialistas do Ministério do Meio Ambiente (MMA), que com apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (UNDP), desenvolve o Projeto de Gestão de Gases de Efeito Estufa da Copa do Mundo 2014. A equipe foi responsável por estimar o impacto de emissões do evento neste ano e da Copa das Confederações, em 2013. Além disso, a WayCarbon doou 5 mil toneladas de Reduções Certificadas de Emissões (RCEs) para a Estratégia de Compensação de emissões de GEE do evento, recebendo o Selo Sustentabilidade – Baixo Carbono pelo apoio na ação de compensação.

BaixoCarbono_01_Curvas

Clique aqui e veja o release oficial da participação na iniciativa

Copa do Mundo 2014: emissões de grande evento

Um evento mundial de grande porte, como a Copa do Mundo, produz um grande contingente de emissões advindas das suas atividades, tais como a hospedagem e transporte de pessoas (viagens aéreas, ônibus, carros), construção de estruturas (ex: estádios, aeroportos) geração de resíduos e consumo de energia. Garantir que essas emissões sejam compensadas e não colaborem para as mudanças climáticas, é ou não um gol de placa?!

Leia também o nosso post, “Inventário de Gases de Efeito Estufa de grandes eventos” e entenda no que implica esse tipo de iniciativa.

Comentários

comentários

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail
rss

Deixe uma resposta