Hora do Planeta: BH é reconhecida por ações climáticas

Hora do Planeta 2015!

Em maio de 2015, Belo Horizonte foi anunciada como a Capital Nacional da Hora do Planeta, ação promovida pela ONG WWF visando reconhecer as cidades mais sustentáveis do mundo e conscientizar a população sobre a importância das atitudes combativas às mudanças climáticas. Esta é segunda vez que Belo Horizonte recebe o prêmio, conquistado também em 2014. Neste ano, concorreram nacionalmente Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo. Foram analisadas iniciativas para adaptação do ambiente às mudanças climáticas e ações apoiadoras em energias renováveis em cada uma das cidades. Mas, o que de fato motiva esse reconhecimento? Quais ações climáticas BH tem desenvolvido para se destacar como referência nacional nessa área?

É sobre isso que vamos tratar no post de hoje. Continue acompanhando!

belo horizonte

Base das ações climáticas : Inventários de GEE e PREGEE

Em 2009, a Prefeitura de Belo Horizonte publicou o Primeiro Inventário de Emissões de Gases e Efeito Estufa do município, com período de referência dos anos 2000 a 2007. O trabalho foi desenvolvido conjuntamente com a WayCarbon e foi um dos pontapés iniciais para o estabelecimento de ações climáticas na cidade, como a meta de redução de 20% nas emissões de GEE até o ano de 2030. O Inventário sofreu uma atualização no ano de 2011, também por meio de licitação vencida pela WayCarbon, estendendo o seu período de referência para uma década, contabilizando emissões de 2000 até 2010. Após esses trabalhos e iniciativas de capacitação, agora é a própria Secretaria de Meio Ambiente que atualiza o Inventário de GEE, sendo o último ano publicado o de 2013.

Também baseado no desenvolvimento de seus inventários de GEE, a cidade também contratou a WayCarbon para a elaboração do Plano Municipal de Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa (PREGEE), trabalho que visou o planejamento de um conjunto de iniciativas para a adaptação do ambiente às mudanças climáticas. O plano foi concluído em maio de 2013 e identificou a necessidade de amparar ações voltadas para a mobilidade urbana, além do setor de resíduos e consumo energético de residências, comércio e instituições diversas.

Parceria com o Banco Mundial – TRACE

Belo Horizonte firmou uma parceria com o Banco Mundial para aplicação da Ferramenta de Avaliação Rápida de Energia na Cidade (TRACE, em sua sigla em inglês). Tal ferramenta estratégica foi utilizada para identificar os setores com maiores potenciais de eficiência energética no município. Foram contemplados seis setores: transporte; iluminação pública; prédios; eletricidade e aquecimento; resíduos sólidos e água tratada; águas residuais. Como resultado, a ferramenta já identificou possíveis economias em termos de orçamento e energia, além de sugerir as ações prioritárias para a cidade. Entre as ações em andamento estão um estudo para a criação de uma Parceria Público Privada para a troca de todas as lâmpadas da iluminação pública da cidade por lâmpadas do tipo LED e um trabalho voltado para a eficiência energética em prédios públicos, principalmente nas escolas municipais.

O TRACE é uma ferramenta desenvolvida pelo Banco Mundial, e Belo Horizonte foi a primeira cidade na América Latina a implementá-la. Felipe Bittencourt é consultor local do Banco Mundial no Brasil e atua diretamente na aplicação do projeto junto à capital mineira, desde 2012.

BH – Capital solar

ações climáticasA pesquisa em torno da tecnologia solar, estudada em parceria pela CEMIG (Companhia Energética de Minas Gerais), UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica), na década de noventa, pode explicar a atração e centralização de esforços solares na capital.

Belo Horizonte é considerada, hoje, a capital solar do Brasil, devido à grande taxa de aplicação do coletor solar para aquecimento de água na cidade. Atualmente, estima-se que existam mais de 422 m² de coletores solares instalados a cada mil habitantes (a taxa é de 127 m² no resto do estado e de 44 m² no país). O Mineirão, um dos principais estádios de futebol do Brasil, tem seu telhado revestido por células voltaicas capazes de suprir a própria demanda cotidiana de energia e ainda exportar para a rede de energia.

Outras ações relevantes 

Para além dessas motivações e ações climáticas, Belo Horizonte também tem sido cenário de projetos como o Urban LEDS, (“Promovendo Estratégias de Desenvolvimento Urbano de Baixo Carbono em Países Emergentes”), parceria entre ICLEI, a ONU-Habitat e Comissão Europeia, e promove ações como o selo BH Sustentável. Tal certificação contempla empreendimentos públicos e privados, condomínios residenciais, comerciais e/ou industriais, que adotem medidas redutoras do consumo de água, energia, emissões diretas de GEE, além de reciclagem de resíduos sólidos.

“Conhecendo e Comunicando ações de Mitigação Climáticas” – Nova York.

Ainda sobre o reconhecimento recebido pelas ações climáticas em Belo Horizonte, Felipe Bittencourt foi convidado a representar a prefeitura da cidade no worskhop “Conhecendo e Comunicando Ações de Mitigação Climáticas”, realizado nos dias 16 e 17 de abril, pela Galvanizing the Groundswell of Climate Actions (GGCA), na cidade de Nova York, Estados Unidos.

O evento teve como objetivo a discussão do crescente papel das cidades, regiões, empresas privadas e grupos da sociedade civil nas ações de redução das emissões de gases de efeito estufa ao redor do mundo. Durante o workshop, os cases de sucesso da gestão climática em Belo Horizonte foram apresentados, contribuindo com um paralelo das ações desenvolvidas em várias cidades. O evento visava incentivar metas e acordos que podem ser estabelecidos e ambicionados nas negociações climáticas desenvolvidas pelas Nações Unidas (ONU) nos próximos anos, com destaque para a aguardada COP de Paris, a ocorrer no final de dezembro.

Atualização – junho de 2016Connected Smart Cities

Belo Horizonte foi reconhecida no Connected Smart Cities 2016, também pela segunda vez consecutiva, como cidade líder em sustentabilidade em Meio Ambiente no Brasil.

A cidade também concorre, mais uma vez, como capital nacional da Hora do Planeta – título que ainda será divulgado no decorrer deste ano.

 

 

Você já conhecia as ações climáticas desenvolvidas por BH? Tem alguma dúvida em relação ao que já foi feito? Divida conosco nos comentários!

mudanças climáticas

Comentários

comentários

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail
rss