O que são indicadores de desempenho ambiental?

Por: Fabio Weikert Bicalho

Existem muitas dúvidas sobre indicadores de desempenho ambiental, como eles surgiram e para que são utilizados. O monitoramento de indicadores de desempenho é um princípio fundamental da gestão organizacional. Afinal, é a medição que permite que processos sejam controlados, compreendidos e, enfim, aperfeiçoados. Não é por acaso que a máxima “não se gerencia o que não se mede”, proferida pelos mais célebres autores da administração, tem sido evocada com frequência para fundamentar a importância da gestão por indicadores nas organizações.

Com o movimento de incorporação de princípios de responsabilidade social às estratégias corporativas, a gestão de indicadores de desempenho ambiental também tem assumido importância primordial nas empresas. A adoção dessa ferramenta permite não apenas a avaliação do alinhamento das práticas organizacionais às políticas ambientais corporativas, mas também a comunicação desse desempenho às partes interessadas nas atividades de uma empresa – como seus consumidores, colaboradores e fornecedores – atores que têm atribuído valor crescente ao posicionamento ético e ambientalmente responsável das organizações com que se relacionam.

Se você se interessa por este tema, continue acompanhando nosso post!

Mas o que são indicadores de desempenho ambiental?

Indicadores  podem ser definidos como ferramentas capazes de sintetizar informações sobre determinada realidade. No contexto da gestão organizacional, são métricas que permitem que as empresas monitorem seus processos e avaliem seu desempenho frente às metas pré-estabelecidas. Os indicadores de desempenho ambiental, mais especificamente, traduzem os efeitos das técnicas e dos processos empregados pela organização sobre o meio ambiente.

Se você também quer ter “Noções Básicas de Gestão Ambiental”, leia nosso outro post.

O impacto ambiental das atividades de uma empresa pode ser mensurado, por exemplo, por meio de indicadores como a geração de resíduos sólidos (em toneladas) e as emissões de gases de efeito estufa por unidade produzida (em tCO2/produto) ao longo de determinado período. Segundo a Norma ISO 14031, que regulamenta a avaliação de desempenho ambiental nas empresas, a relação de possíveis indicadores é extensa e abrange organizações de todos os portes e níveis de complexidade. Tal como na gestão por indicadores em sua definição mais ampla, a periodicidade e o responsável pela coleta dos indicadores de desempenho ambiental devem ser bem definidos, bem como a meta com a qual os resultados serão comparados.

Qual é a importância desses indicadores para minha empresa?

A coleta de indicadores de desempenho ambiental pode cumprir diferentes papeis conforme seja o grau de maturidade da organização e a realidade do setor em que está inserida. É comum, por exemplo, que o interesse de uma organização pelo monitoramento de parâmetros ambientais resida na geração de métricas que garantam sua conformidade em relação às normas e regulações setoriais. É o caso, por exemplo, de efluentes gerados pelo setor industrial. Para sua correta disposição em corpos d’água, indicadores referentes a esses efluentes, como pH, temperatura e concentração de substâncias tóxicas, devem estar dentro de limites estabelecidos pela legislação. Primordialmente, os benefícios obtidos por uma organização que se proponha a medir seu desempenho ambiental têm início na aquisição da capacidade de avaliação de sua própria performance em relação à sua política ambiental e aos objetivos a ela associados. É possível, então, identificar oportunidades e detectar, de forma precoce, riscos a que a empresa está submetida. Um indicador de consumo de energia por unidade produzida que apresente uma tendência de crescimento, por exemplo, pode indicar perdas de eficiência energética capazes de comprometer a competitividade e os resultados financeiros da empresa. Os indicadores tornam-se, assim, o ponto de partida para a elaboração de planos de ação e para a tomada de decisões.

Benchmarking e sinalização de mercado

Os indicadores de desempenho ambiental podem ser, ainda, a base para estudos de benchmarking. Em outras palavras, podem ser empregados como meio de comparação da performance de uma empresa com as melhores práticas do setor ou de outras organizações, a fim de identificar vantagens competitivas e necessidades de aperfeiçoamento. Essa comparação é favorecida por padrões internacionais de reporte de indicadores, como as diretrizes de sustentabilidade da Global Reporting Initiative (GRI) e, no caso de emissões de gases de efeito estufa, o GHG Protocol.

Leia o nosso post “Inventários de GEE: quando planilhas já não são suficientes” e entenda a importância de  uma gestão de gases de efeito estufa bem estruturada e facilitada

Para além disso, a divulgação de indicadores de desempenho ambiental pode ser tida como a emissão de um sinal de mercado, uma vez que o posicionamento das empresas frente às questões ambientais tem sido o objeto de crescente avaliação de atuais e potenciais investidores. Interessados não apenas na performance absoluta dos indicadores dessas empresas, mas também em seu desempenho relativo ao de outras companhias, muitos têm adotado o critério da sustentabilidade como variável para o direcionamento de seus investimentos. Empresas com indicadores mais favoráveis assumem posição de liderança no quesito de gestão ambiental e podem passar a compor índices como o Dow Jones Sustainability Index (DJSI) e, no caso brasileiro, o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e o Índice Carbono Eficiente (ICO2), da BM&FBovespa.

Quer entender melhor como funciona o ISE? Leia o nosso post “Conheça o Índice de Sustentabilidade Empresarial”.

Ainda tem dúvidas a respeito dos indicadores de desempenho ambiental? Comente abaixo!

mudanças climáticas

Comentários

comentários

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail
rss