Jargões ESG: Net Zero, Carbono Neutro, Carbon Free e Carbono Negativo

As empresas têm enfatizado o atingimento das metas de redução do impacto em seus produtos e serviços nas comunicações com o consumidor. Saiba o que cada rótulo entrega.

 

Em sintonia com o aumento do interesse dos consumidores por marcas sustentáveis, o número  de empresas assumindo metas de neutralidade de carbono vem crescendo e já se reflete nos volumes negociados pelos mercados de carbono voluntários, em franca evolução nos próximos anos. Só no Brasil, de acordo com o estudo do ICC Brasil e da WayCarbon, a expectativa é chegar em até US$100 bi em receita de créditos de carbono até o final desta década. 

Esse boom também tem impulsionado o volume de comunicados realizados pelas marcas para o público em relação às ações ESG, trazendo à tona novos jargões para o repertório do consumidor, que já se depara com ofertas de produtos carbono neutro ou carbon free nas embalagens dos produtos que consome, embora nem sempre esteja ciente do que esses termos significam de fato. 

Jargões ESG: Net Zero, Carbono Neutro, Carbon Free e Carbono Negativo

Por se tratarem de abordagens relativamente recentes, é preciso estabelecer a diferença entre carbono neutro e carbon free, pois, apesar de ambos preverem a redução de emissões na atmosfera, esse último termo é ainda mais amplo.   

O Net Zero se aplica quando uma organização estabelece uma meta para atingir a redução de emissões em toda sua cadeia de valor ao longo do tempo e neutraliza, por meio de compensações, o impacto de quaisquer emissões residuais, sejam elas diretas, oriundas da própria operação, ou indiretas, relativas à pegada de carbono da sua cadeia de valor, de fornecedores a clientes, o que torna o objetivo muito mais desafiador. Esse tipo contempla três escopos de ação:    

  • O Escopo 1 cobre a redução das emissões pelas quais uma instituição é diretamente responsável,  
  • O Escopo 2 está relacionado às emissões indiretas, como o consumo de energia elétrica, por exemplo.  
  • O Escopo 3 prevê a redução do que é gerado pela rede de fornecedores e clientes em razão da utilização dos produtos ou serviços de uma instituição. 

Após implementar métodos de redução de emissões de GEE nesses 3 escopos, também chamado de mitigação, a empresa deve ainda compensar as emissões residuais, isto é, aquelas que não são passíveis de mitigação na operação, por meio da aquisição de créditos de carbono devidamente certificados.  O Net Zero é uma meta não mutuamente excludente com o SBTi (Science Based Targets iniciative, ou metas estabelecidas pela ciência em português) e nesse caso, a compensação das emissões é usada durante esse processo de transição para a descarbonização.  

O Carbon Neutral (carbono neutro ou climate neutral) corresponde à meta atingida por uma empresa após compensar suas emissões de escopo 1 e 2, sendo escopo 3 opcional, em um determinado período.  Geralmente, a avaliação é feita anualmente. Já para se tornar Carbon free, uma empresa precisa garantir a utilização de energia limpa em sua operação. Essa meta pode ser usada como um objetivo complementar para qualquer uma das reivindicações anteriores.  

Já a menção Carbono Negativo (ou Climate positive) é utilizada quando a empresa vai além de atingir emissões Net zero para criar um benefício ambiental, removendo emissões adicionais por meio de projetos de sequestro de carbono.  

Há ainda as empresas que se comprometem a adotar o SBTi para colocarem em prática na própria operação uma estratégia de descarbonização, consistente com a limitação do aumento da temperatura global a 1,5ºC (2ºC acima dos níveis pré-industriais até 2050, conforme o Acordo de Paris). No SBT, a compensação de emissões não é contabilizada.  

Claro que, para fazer valer essas ações, é imprescindível que as empresas abram as metodologias de diagnóstico, redução e compensação do impacto empreendidas por elas para o público, no apontamento das atividades em seus relatórios socioambientais, integrando a transparência e a rastreabilidade à sua proposta de valor.    

Carbon free Meta de utilizar 100% de energia limpa ou materiais para operar diretamente as operações da empresa (pode ser usada como uma meta complementar para quaisquer reivindicações anteriores) n / a – compensação não se aplica aqui, principalmente aplicada à energia atualmente n/a Fonte: Adaptado de: Taskforce on Scaling Voluntary Carbon Markets. Consultation Document. November 2020.

Stéphannie Galdino
Analista de Sustentabilidade Pleno at WayCarbon | + posts
Compartilhe esse conteúdo

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.