UK PACT anuncia ganhadores do financiamento para projetos focados na mudança climática.

UK Pact

Nesta semana, o UK PACT (Partnering for Accelerated Climate Transitions, em inglês, Parceria para Transições Climáticas Aceleradas) anunciou os ganhadores da bolsa de financiamento para projetos de iniciativas diversas focadas na mudança climática. Sendo uma das receptoras do grant, a WayCarbon elaborou uma proposta que irá funcionar como um guia de ferramentas para bancos de desenvolvimento avaliarem riscos climáticos.

O UK PACT

O UK PACT é o programa carro-chefe do International Climate Finance (ICF), que promete £60 milhões para projetos que visam atacar o problema da mudança climática. Financiado pelo Department for Business, Energy and Industrial Strategy (BEIS) do Reino Unido, o UK PACT tem como missão:

  • Ajudar países parceiros a aumentar a ambição de lutar contra a mudança climática e acelerar sua transição para o crescimento verde;
  • Ajudar a melhorar a capacidade dos países parceiros de, de fato, reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa;
  • Auxiliar países a reduzir emissões nocivas de carbono e reduzir a pobreza, criando mais oportunidades em uma economia carbono neutra.

Com isso em mente, o UK PACT procurou ideias inovadoras que abordem desafios específicos de baixo carbono, que possuam resultados mensuráveis e, além disso, promovam a inclusão social e inspirem ações futuras para aumentar a ambição climática em escala e, ao mesmo tempo, apoiar países na reconstrução de suas economias após a pandemia do Covid-19.

Como parte do compromisso de levar essa missão ao redor do mundo, o UK PACT selecionou, nesta semana, 16 projetos em países da Ásia e América Latina para receberem financiamento para colocar os projetos em prática. Dentre as 500 submissões, a WayCarbon foi uma das instituições selecionadas.

O projeto da WayCarbon tem como objetivo apoiar a avaliação dos principais riscos climáticos por parte dos bancos de desenvolvimento brasileiros em operações de crédito variadas de duas maneiras. A primeira delas é desenvolvendo um framework para uma análise de alto nível de riscos físicos e de transição e, a segunda, o desenvolvimento de uma ferramenta aplicada para análise de cenários e testes de estresse relevantes para setores-chave. Todo projeto é alinhado com as diretrizes do TCFD (Task Force on Climate-related Financial Disclosures).

O projeto piloto contará com os bancos BNDES e BDMG e promete entregar valor para que demais bancos de desenvolvimento possam olhar para o futuro e criar ações efetivas na direção da transição brasileira para uma economia de baixo carbono.

Compartilhe esse conteúdo

Tags

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.