Como promover inovação com foco na sustentabilidade?

Inovar é explorar e obter sucesso a partir de novas ideias. Esse conceito pode ser aplicado à áreas diversas, tanto à tecnológica, que se refere à criação de novos produtos e processos, quanto a mercados, modelos de negócios e criação de novos métodos. Em um mundo confrontado por problemas socioambientais, aliar inovação à sustentabilidade se torna cada vez mais necessário, por ser, além de uma forma de preservar o meio ambiente, uma forma de alcançar novas oportunidades de mercado.

Ao mesmo tempo que os modos de produção empregados para construir avanços tecnológicos trazem benefícios cada vez maiores para nossa sociedade, como melhoria nos transportes, na saúde e aumento da expectativa de vida, eles também podem causar impactos ao meio ambiente, que se torna incapaz de produzir os recursos naturais explorados na mesma velocidade da sua extração. A expansão eletrônica e o resíduo produzido por ela é um bom exemplo disso. O reconhecimento desses excessos trouxe novos valores à sociedade, que, cada vez mais, reivindica ao ambiente organizacional a união de inovação e sustentabilidade.

Dessa forma, cuidar do meio ambiente se torna cada vez mais importante, uma vez que, além desse cuidado ser necessário para a manutenção da vida no planeta, as demandas por sustentabilidade afetam cada vez mais as relações socioeconômicas. Vamos saber mais sobre isso?

Os desafios do empreendedor hoje

A sociedade não só aprova meios de produção mais sustentáveis, como também espera que as organizações se comprometam a empregá-los. Além de clientes mais atentos às necessidades do planeta, há uma exigência maior da legislação sobre essas empresas, que precisam buscar eficiência e, ao mesmo tempo, prestar atenção à questão ambiental.

Assim, o empresário se torna mais que um provedor de produtos, ocupando um espaço de articulação de novas tendências e construção de um futuro viável. Nesse contexto, em que para ser competitivo no mercado é fundamental ser também sustentável, inovação e sustentabilidade são indissociáveis.

Apesar das dificuldades que as organizações podem encontrar para se adequar a essa demanda, a evolução tecnológica é capaz de ajudar bastante na construção do desenvolvimento sustentável. Porém, inovação não se resume a usar a tecnologia para criar um produto ou serviço. Inovar é transformar os processos de produção e práticas de gestão, o que pode ser mais barato e simples do que imaginamos. Práticas como reduzir o uso de recursos não renováveis, aproveitar materiais e priorizar o uso de produtos sustentáveis são bons exemplos disso.

Além de preservar o meio ambiente, investir em sustentabilidade é também uma forma de alcançar grandes benefícios e oportunidades de mercado. Saiba mais!

 

Como aliar inovação à sustentabilidade?

Ações como fazer coleta seletiva, controlar o consumo de água e de energia fazem parte da rotina de várias empresas no Brasil. Mas será que elas são suficientes para promover o desenvolvimento sustentável ?

Os desafios socioambientais do século XXI nos abriram os olhos para diversos problemas que enfrentamos atualmente. Por isso, ao considerarmos o desenvolvimento de um país também levamos em conta de que forma ele promove a sustentabilidade e a qualidade de vida. Assim, é preciso que os empreendedores também tenham como propósito o desenvolvimento de uma nova sociedade e estejam dispostos a direcionar iniciativas para um novo modelo, capaz de aliar o progresso econômico à preservação do meio ambiente.

Um passo importante para atingirmos esse objetivo é promover a cooperação e a colaboração entre as organizações, que reunidas podem investir em formas de inovação capazes de suportar práticas de sustentabilidade. Assim, além de obter ganhos de competitividade e ampliar as chances de disputar o mercado global, podem ser pensadas estratégias para atuar de acordo com esse novo modelo.

Além disso, a própria tecnologia pode ser utilizada em favor do meio ambiente. Avanços na área óptica, de nanotecnologia e de monitoramento de alta definição a distância, por exemplo, poderiam auxiliar no combate ao desmatamento ilegal. Novas tecnologias também podem ajudar a reduzir a emissão de gases do efeito estufa (GEE) na atmosfera.

O que já alcançamos

Atualmente, algumas ações já foram implementadas com o intuito de atingir um modelo que alie sustentabilidade e desenvolvimento econômico. Políticas voltadas para desperdício mínimo, eficiência energética, investimentos em pesquisa e desenvolvimento e controle de poluentes, por exemplo, são adotadas por algumas organizações, que convergem os objetivos de ganhos de competitividade e aumento do lucro à redução  dos impactos causados ao meio ambiente.

É necessário, contudo, nos atentar para a prática de Greenwashing (ou maquiagem verde). Com a valorização da sustentabilidade, algumas empresas passaram a se promover como mais responsáveis ambientalmente, vendendo uma imagem que, muitas vezes, não é verdadeira. O Greenwashing pode ser praticado por governos e organizações não governamentais, iniciativas públicas ou privadas e até mesmo pessoas que obtenham vantagens ao promoverem ações sustentáveis que não são reais. É preciso tomar cuidado com as propagandas enganosas!

Saiba mais sobre isso no nosso post “Isso não é sustentabilidade. Conheça o greenwashing.”

Como está o Brasil nesse cenário?

No Brasil, os investimentos em ciência e tecnologia são insuficientes, e grande parte da competitividade é baseada na produção de bens que usam, de forma intensiva, recursos naturais. Com a limitação da capacidade de transformar conhecimento em ações práticas, a inovação é fundamental para ampliar a capacidade competitiva do país.

Buscando fomentar a inovação no setor privado, em especial nas grandes empresas, o Governo Federal lançou a Empresa Brasileira e Inovação e Pesquisa Industrial (EMBRAPII). O intuito desta iniciativa é apoiar financeiramente projetos com reconhecido risco tecnológico, mas que podem transformar a maneira de se produzir no Brasil.

Ainda, reconhecendo a relevância econômica das micro e pequenas empresas (MPEs) no país, o SEBRAE lançou no final do ano passado o Edital Sebrae de Inovação, que oferece subsídios de até R$120 mil por projeto e tem objetivo de fomentar e desenvolver negócios inovadores. Incentivar MPEs é fundamental para transformar a economia nacional. De acordo com os registros do Seminário internacional sobre pequenos negócios, realizado pelo Sebrae, elas são responsáveis por cerca de 70% das vagas de emprego geradas a cada mês e por 40% da massa salarial dos brasileiros. Com uma representatividade tão expressiva, não há como pensar em desenvolvimento sustentável sem considerar as micro e pequenas empresas, que produzem cerca de 25% do PIB brasileiro. Assim, práticas inovadoras também são importantes para os pequenos negócios, podendo elevar a sua competitividade em um mercado cada vez mais exigente.

O direcionamento à inovação demanda novas relações nas cadeias de produção, desenvolvendo a cooperação entre governo, instituições de pesquisa e ensino, empresas e empreendedores. Assim, novas políticas públicas devem ser pensadas para o Brasil, com o intuito de ampliar os investimentos em pesquisas e o desenvolvimento de novas tecnologias, processos e relações comerciais e produção que tragam novos modelos de produção e empreendedorismo.

 

Esforços e recompensas

Para promover a inovação com foco na sustentabilidade são necessários esforços, mas como recompensa espera-se ganhos de eficiência e redução de custos garantindo vantagens competitivas, já que organizações inovadoras e sustentáveis conquistam espaço e podem se tornar líderes de mercado. Além disso, ações que pretendem aliar a economia à sustentabilidade podem alcançar resultados eficientes para o meio ambiente, como a redução do uso de recursos naturais não renováveis, de emissões causadas por poluição ou gases de efeito estufa e, ainda, o aumento da produtividade.

Atualmente, as empresas procuram inovações que permitem a exploração dos recursos naturais, mas sem provocar os efeitos colaterais dessa atividade. A partir do auxílio da tecnologia isso é possível. Por exemplo, pesquisas de clonagem e otimização do solo podem levar à redução da área de plantio em monoculturas e, ao mesmo tempo, manter a sua produtividade.

Promover a inovação com o foco em sustentabilidade se torna mais importante a cada dia. As necessidades do meio ambiente devem ser levadas em consideração ao pensarmos em novas formas de produção capazes de trazer benefícios tanto ao meio ambiente quanto às organizações.

Esperamos que você tenha entendido como inovação e sustentabilidade podem andar juntas. Restou alguma dúvida? Deixe nos comentários ou mande um e-mail:  comunicacao@waycarbon.com. Será um prazer bater um papo com você!

Comentários

comentários

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail
rss